14 personagens LGBTQIA+ da Marvel e da DC que você precisa conhecer

Em junho é celebrado o Orgulho LGBTQIA+, período escolhido em referência às manifestações de Stonewall, ocorridas no mesmo mês em 1969. Até o início da década de 1960, relacionamentos homoafetivos eram considerados crimes nos Estados Unidos. No Brasil, o Código Penal descriminaliza as relações entre pessoas do mesmo gênero desde 1940.

Em contrapartida, as histórias em quadrinhos não puderam desenvolver narrativas sobre o amor livre tão cedo. Devido o Comic Code Authority que considerava tais práticas desonrosas à família tradicional e aos bons costumes.

“Relações sexuais ilícitas não devem ser insinuadas ou retratadas. Cenas de amor violentas e anormalidades sexuais são inaceitáveis. O tratamento das histórias de romance amoroso deve enfatizar o valor do lar e a santidade do casamento. A perversão sexual ou qualquer inferência à mesma é estritamente proibida”, dizia o documento. Ou seja, toda relação e comportamento que fugisse da heteronormatividade nas revistas eram proibidos.

Mas, isso não impediu que as editoras buscassem outros meios de trabalhar a diversidade nas histórias. Não é à toa que houve a criação dos X-Men, grupo de heróis símbolo da pluralidade de pessoas. O Comic Code Authority existe até hoje, porém, não tem a mesma relevância.

Atualmente, o número de personagens LGBTQIA+ nos quadrinhos já é bem maior do que no passado. Alguns até chegaram a aparecer em live-actions, séries de TV e animações.

Apesar disso, ainda estamos longe do ideal. Existe uma uma gama vasta de personagens da comunidade LGBTQIA+ que ainda não são explorados no mainstream. Essas figuras além de serem fundamentais para a representatividade, ajudam a quebrar a barreira do preconceito.

Por isso, trouxemos uma lista com alguns desses super-seres para você conhecer.

Confira:

Miss America (Marvel)

Xochitl Gomez é quem dá vida a Miss America Chavez emDoutor Estranho | Quilombo Geek

Miss America, a mais nova personagem de “Doutor Estranho 2: Multiverso da Loucura”, também conhecida como America Chavez, é a definição de representatividade perfeita. Assumidamente lésbica e latina, ela não cai em queerbaiting ou estereótipos, como acontece com Deadpool por exemplo..

America conquistou um protagonismo importante com seu jeito descolado, humor afiado e senso de justiça, desde a primeira aparição nos quadrinhos, em Vingança Vol. 1 #1 em 2011.

Criada para substituir a primeira Miss America, Madeline Joyce, America foi concebida por duas mulheres no universo Paralelo Utópico (tradução livre para o português), um lugar desvinculado de magia fundado por Demiurgo.

Devido a ataques à dimensão, as mães de America se sacrificam para garantir a sobrevivência da filha. A heroína então, passa boa parte da infância e adolescência viajando entre dimensões, até decidir ficar no universo 616. Ela fez parte das equipes: Os Supremos, A-force, Brigada Juvenil, Hell-Rangers e Jovens Vingadores.

Aquaman (DC)

Episódio revela que novo Aquaman é gay | Quilombo Geek
Foto: Reprodução

Inicialmente parte da Justiça Jovem como Aqualad, Kaldur’ahm assume o manto de Aquaman na animação “Young Justice: Renegades”, transmitida nos Estados Unidos, em 2019. É também nessa produção que o herói revelou pertencer à comunidade LGBTQIA.

No final do episódio Quiet Conversations, focado no afeto dos personagens com parentes e pessoas próximas, o atlanti beija Wyynd, um dos servos do rei Orin. A animação não deixou claro se o novo Aquaman qual seria a sua orientação sexual.

Já nas HQs, Aqualad é Jackson Hyde, um jovem também negro e assumidamente gay desde a primeira aparição em 2010. O herói protagonizou uma graphic novel que fala sobre o seu primeiro amor, lançada em 2019 e que está sendo trazida para o Brasil em 2021.

Wiccano (Marvel)

Wiccano e Célere |Quilombo Geek
Foto: Reprodução

Casado com com Teddy (Hulkling), rapaz que beijou na HQ polêmica “Vingadores: A cruzada das crianças”, que levou a censura da revista na Bienal do Livro no Rio de Janeiro.
Billy Kaplan é filho do icônico casal Wanda (Feiticeira Escarlate) e Visão. Ele foi criado com o irmão Célere pela vingadora através de fragmentos da alma de Mephisto e devido ao grande poder da Magia do Caos.

O demônio engoliu as crianças de volta, mas as almas reencarnaram anos depois nos corpos de Billy Kaplan e Thomas Shepherd (Célere).

O herói sofria bullying na escola devido à sua sexualidade e por ser muito fã de super-heróis. Ele até encontra Wanda após mais um dia de humilhações, antes de saber que ela era sua mãe, e a Feiticeira lhe dá conselho para lidar com a situação.

No início, o garoto foi retratado com poderes similares ao Thor, mas, descobriu-se que ele podia fazer mais ao dominar magia, habilidades herdadas da mãe mutante. Wiccano é um dos heróis mais poderosos da Marvel, sendo o Demiurgo, ser que representa o passado e o futuro.

A primeira aparição dele foi em “Jovens Vingadores #1” em 2005.

Hukling (Marvel)

Hulkling como imperador da galáxia
Foto: Reprodução

Filho do Capitão Marvel, o Mar-vell, e da Princesa Anelle, Teddy Altman é fruto de um relacionamento proibido entre duas autoridades kree e skrull. Ele foi enviado à Terra para ser criado pelo pai, porém, o vingador já havia morrido. O rapaz foi criado pela senhora Altman, que batizou ele como Theodore Rufus Altman.

Como todo adolescente tentando se encaixar, ele topa usar os poderes para invadir a mansão dos Vingadores com um amigo.

Por ter uma aparência semelhante à de Hulk, Teddy foi rapidamente associado ao vingador. Mas ele herdou os poderes da raça kree e skrull, como a metamorfose, superforça, supervelocidade, fator de cura e resistência a diferentes temperaturas.

Hoje, ele é casado com Billy Kaplan.

Estrela Polar (Marvel)

Estrela Polar, primeiro herói LGBTQIA+ nos quadrinhos | Quilombo Geek
Foto: Reprodução

Primeiro herói assumidamente gay da Marvel, Jean Paul-Baubier aparece pela primeira vez em 1983, na HQ “Tropa Alfa #7”. Ele também protagonizou o primeiro casamento LGBTQIA+ na Marvel. Na “Surpreendentes X-Men #51”, ele oficializa a união de longa data com Kyle Jinadu. O evento ganhou até notícia nos jornais do mundo real.

Quando lançou o Estela Polar, a editora retratava a sexualidade delede modo implícito, deixando indícios nas entrelinhas pelo Código de Quadrinhos de 1954.

Nascido em Montreal, no Canadá, os pais de Jean morreram sob circunstâncias estranhas e ele foi separado da única irmã, Jean-Marie. Ele foi criado por Martin, um parente do pai, até os 6 anos, mas ele morre e o mutante vai para um orfanato. Os poderes dele se manifestaram quando começou a praticar esqui, já adulto.

Com o fim da legislação que censurava as obras apenas em meados dos anos 1990, Estrela Polar “sai do armário”. Em “Tropa Alfa #106”, o mutante revela ser gay e passa a ser um dos protagonistas na campanha contra a Aids.

O mutante já fez parte dos X-Men, Tropa Alfa e da Hydra.

Batwoman (DC)

Batwoman | Quilombo Geek
Foto: Reprodução

Criada para ser a versão feminina de Bruce Wayne ainda na década de 1950, a nova versão da heroína toma outro rumo. Kate Kane era uma militar muito empenhada, que foi desligada do exército sem qualquer honra após se assumir lésbica.

Prima em primeiro grau do milionário de Gotham, Kate renasce nos quadrinhos, Detective Comics #52, em 2006. Após encontrar com Batman na ocasião de um assalto, a heroína decide atuar como uma das vigilantes noturnas de Gotham.

Sera (Marvel)

Sera, primeira heroína transexual da Marvel | Quilombo Geek
Foto: Reprodução

A primeira heroína trans das HQs, Sera é natural de Parayzo, o décimo reino de Asgard, onde nascem os anjos. Somente um anjo do gênero masculino cis nasce a cada 100 mulheres em Parayzo, que seria o caso de Sera, no entanto, ela não se identifica com o gênero atribuído a ela..

Por serem tão raras, essas criaturas eram enviadas para um templo protegido onde oravam pelas almas dos mortos. Eles não têm asas e são chamados de Ancorites.

Depois de ser salva por Angela, a irmã de Thor, Sera pede que ela a tire dali. A asgardiana também ajuda a mudar de aparência e a heroína passa pela transição.

Surgiram rumores de que Sera poderia aparecer na série “Loki”, do Disney Plus, mas nada foi confirmado.

Míssil Adolescente Supersônico (Marvel)

Deadpool 2 | Quilombo Geek
Foto: Reprodução

A primeira heroína abertamente lésbica e em um relacionamento homoafetivo a aparecer em um live-action de super-heróis, em “Deadpool” (2016). Ellie Phimister apareceu nos quadrinhos em 2001, na “New X-Men #115”, mas não houve tempo para desenvolver a sexualidade, já que ela morreu antes, no massacre de Genosha.

Ela foi trazida numa versão do longa-metragem do mercenário tagarela, uma garota durona, gótica e poderosa. Em “Deadpool 2” (2018), a mutante fez história ao protagonizar um relacionamento lésbico na trama, mesmo que não tenha sido muito aprofundado.

Ellie reapareceu nos quadrinhos, viva e bem, quando foi pega por Deadpool e um grupo de mercenários a mando da Umbral Dinâmicas.

Mulher-Gato (DC)

Selina Kyle | Quilombo Geek

Selina Kyle é uma das clássicas antagonistas do Batman, os dois têm uma relação de amor e ódio. Em sua origem, a anti-heroína não era dita explicitamente como bissexual, mas na edição 39 de seu título próprio Selina beija uma mulher.

A roteirista responsável pelo quadrinho escreveu na época que a decisão foi natural já que a história de Kyle já a encaminhava para isso. Com a promessa de que não seria apenas um queerbaiting.

Atualmente, Selina Kyle é casada com Bruce Wayne.

Darkveil ou Shade (Marvel)

Darkveil, Shade| Quilombo Geek
Foto: Reprodução

Primeiro super-herói gay a fazer drag nas HQs, Darnell apareceu pela primeira vez na revista solo do Homem de Gelo, “Iceman (2019) #4-5;”. Conhecido originalmente como Shade, os poderes dele envolvem teletransporte através de uma matéria sombria.

Sem muitas aparições nos quadrinhos, o atual DarkVeil já lutou contra extremistas e foi o mestre de cerimônias da Parada do Orgulho Mutante.

Viv Vision (Marvel)

Viv Vision| Marvel
Foto: Reprodução

Filha do Visão com Virgínia, uma sintozóide criada pelo próprio Vingador, Vivian aparece pela primeira vez em “Visão: Pouco Pior que um homem” (2016). Depois do suicídio da mãe e da morte do irmão Vin, a garota se muda com o pai para Cherrydale, para recomeçar a vida.

Vivian é lésbica e nutre um crush não correspondido por Riri Williams, a Coração de Ferro. A sintozóide faz parte da equipe “Campeões”, formada por Jovem Ciclope, Ms.Marvel, Nova, Homem-Aranha e Amadeus Cho (Hulk)

Daken (Marvel)

Daken (Origin) | Quilombo Geek
Foto: Reprodução

Apresentado inicialmente como vilão, o filho de Wolverine com Hitsu é abertamente bissexual. Ele já se relacionou inclusive com um dos inimigos do Demolidor, o mercenário Bullseye.

Daken tem uma vida complicada desde o nascimento, assim como seu pai. Antes de nascer, o Soldado Invernal matou a mãe dele. O vilão ancestral Rômulo retira o mutante da barriga de Hitsu e o dá para uma nova família.

O nome de Daken é na verdade Akihiro, que significa “Grande Glória”, mas os servos de seus pais e os vizinhos o chamavam de Daken que quer dizer “cão bastardo.” Tomado pelo ódio, ele assassinou os pais e fugiu de casa.

Diferente das lâminas de Logan, que são revestidas com adamantium, as de Akihiro são revestidas por Muramasa, um metal que corta o fator de cura dos oponentes. O mutante já foi membro dos Vingadores Sombrios, Quinteto Fantástico e um dos Cavaleiros do Apocalipse. A primeira aparição dele foi em Wolverine Origins #10, em 2010.

Capitão América (Marvel)

Aaron Fisher, Capitão América| Quilombo Geek
Foto: Reprodução

O mais novo herói do panteão da Marvel, Aaron Fisher é um dos Capitães Américas do encadernado “Os Estados Unidos do Capitão América”, onde Steve Rogers sai pelo país em busca de pessoas que tenham ideais semelhantes aos dele: a defesa dos fraco e oprimidos.

O jovem Aaron é um deles, com um visual diferente do convencional: uma jardineira como uniforme e o corpo tatuado cheio de piercings, além de assumidamente gay. Os desenhos são de Jan Bazaldua, uma mulher trans.

Fisher é conhecido como o Capitão América dos Trilhos e se dedica a defender pessoas em situação de rua. Estamos ansioses para conhecer mais sobre ele!

Prodígio (Marvel)

Prodígio (David Alleyne) | Quilombo Geek
Foto: Reprodução

David Alleyne é um jovem super inteligente com capacidade de absorver todo tipo de informação. Ele perdeu o poder após os eventos da Dinastia M, contudo, permaneceu no Instituto Xavier porque os pais dele não o aceitaram de volta.

Depois de conflitos com a ex-namorada e as equipes ligadas à escola de mutantes, o rapaz decide atuar sozinho. Quando começa a trabalhar para uma empresa que contrata super-heróis, o rapaz conhece Célere (Thomas) e entra para os Jovens Vingadores.

O rapaz é abertamente bissexual e recentemente engatou um relacionamento com Thomas Shepherd.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s